Breno Lopes comemorando título do Palmeiras da Libertadores com a taça no gramado do Maracanã

Antes de entrar para a história do Palmeiras, Breno Lopes atuou de ’empresário’ e ajudou a colocar atacante no Juventude

04/02/2021

Breno Lopes entrou para a história do Palmeiras no último sábado (30). Aos 54 minutos do segundo tempo, o atacante marcou o gol que deu o bicampeonato da Libertadores ao Verdão. E, de fora direta e indireta, o jogador de 25 anos também tem sua marca na temporada do Juventude, que retornou à Série A do Campeonato Brasileiro após 14 anos.

Isso porque, antes de acertar com o Palmeiras, Breno Lopes era artilheiro do Papo na segundona divisão, com nove gols. Além disso, também, no que antecedeu a concretização da negociação com o clube paulista, o jogador teve papel importante na ida de Rafael Grampola ao Alfredo Jaconi, centroavante que viria a fazer gols importantes e auxiliar o Jaconero a voltar à elite nacional.

Em entrevista ao ESPN.com.br, Rafael Grampola contou sobre a amizade antiga que tem com ‘Breninho’, forma em que gosta de se referir a Breno Lopes. O centroavante, que marcou chegou ao Juventude em novembro e marcou quatro gols, afirmou que o atual jogador do Palmeiras atuou como seu ’empresário’ no acertou com o clube gaúcho.

“O Breninho é um irmãozão meu. A gente tinha jogado junto no Joinville. Ele era da base, eu cheguei em 2017. A gente ficou quase dois anos lá. Uma coisa engraçada, quando eu vim para o Juventude, a primeira pessoa que eu liguei foi para o Breno. Meu contrato havia sido rescindido nos Emirados e eu mandei mensagem para ele: ‘e aí, Breninho? Como tão as coisas aí no Juventude? Tudo bem?’. Ele disse que estava tudo bem, disse para eu vir que era bom e falou com todos. Deu tudo certo. Ele praticamente foi meu empresário para eu vir para o Juventude”, disse Grampola.

Mas, os dois não conseguiram repetir a parceria de Joinville. Por conta do atraso na regularização da documentação, Grampola só foi estrear pelo Juventude após a saída de Breno para o Palmeiras. No entanto, disse que o talento do jogador já era perceptível nos treinamentos e que ficou muito feliz pela conquista de ‘Breninho’.

Quando cheguei foi bom demais encontrar ele em excelente fase, fazendo muito gol, jogos muito bons. Infelizmente, ou felizmente, não deu para a gente jogar junto no Juventude. Quando minha documentação ficou certa, o negócio do Palmeiras aconteceu e ele foi. Foi bom demais ver ele fazendo gol, crescendo, participando, realizando um sonho, para mim, foi muito bom ver ele conquistar tudo o que está conquistando. Merecedor, trabalhador e muito bom jogador. Prova disso foi o gol, está jogando bom. Tenho um carinho muito grande por ele, por já ter jogarmos juntos, por ele ter me indicado para o Juventude (risos)”.