Flamengo: ‘caso Matheuzinho’ ganha novo capítulo na Justiça, e gestor do Londrina detona postura rubro-negra

03/05/2022

Justiça do Paraná determinou que o Flamengo registre a renovação de Matheuzinho, anunciada em 2020; Londrina quer manter os direitos econômicos


A disputa entre LondrinaFlamengo pelo contrato de Matheuzinho ganhou mais um capítulo nesta terça-feira (3). O gestor Sérgio Malucelli afirmou que o clube paranaense conseguiu na Justiça do Paraná uma liminar determinando que o Rubro-Negro registre a renovação do lateral-direito em até 15 dias.

Pela decisão, caso o novo contrato de Matheuzinho não seja registrado no prazo estipulado, o Flamengo será multado diariamente. O clube carioca pode recorrer.

A questão entre os clubes por Matheuzinho é referente à renovação do contrato do jogador com o Flamengo. Em 2020, o Rubro-Negro anunciou a assinatura de um novo acordo com o lateral, com multa rescisória de 70 milhões de euros (R$ 365 milhões na cotação atual). Porém esse novo vínculo nunca apareceu no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF. O contrato inicial termina no final deste ano.

Matheuzinho chegou ao Flamengo em 2019 e ficou acertado que o Londrina, seu antigo clube, teria 50% dos direitos econômicos em uma próxima negociação. No entanto, caso o contrato atual termine, o Londrina perderá essa porcentagem.

Em entrevista à rádio Paiquerê, o gestor do Londrina, Sérgio Malucelli, confirmou a liminar, falou sobre decisão da Justiça e detonou a postura do Flamengo nas negociações.

Saiu ontem (segunda-feira) a liminar que nós entramos contra o Flamengo, onde nós pedimos a apresentação e o registro do novo contrato do Matheuzinho que eles mesmo publicaram no site do Flamengo – entrevista do Marcos Braz, entrevista do Matheuzinho – e até hoje eles ficaram segurando esse contrato”.

O Flamengo pressionou o Londrina por uma negociação que não foi concluída por culpa deles. Nos ameaçaram com a perda do jogador se não vendermos pelo preço que eles querem e até o próprio jogador“.

“Foi acertada a venda de 30% do jogador por R$ 1 milhão para ser pago em 3 de novembro de 2020. Porém, perto da data, o Flamengo alegou que só poderia pagar no final do mês, para fazer um novo contrato. Ainda assim eles anunciaram a renovação no dia 3, colocando uma multa astronômica. Não pegaria bem para mim”.