José Welison, do Botafogo, lamenta queda do time para a Série B

Sormani: Botafogo, morre uma estrela

05/02/2021

Sou acometido neste momento de uma tristeza imensa. Uma parte da minha vida morreu. Uma vida que foi edificada num tempo em que nosso futebol vivia sua “época de ouro”.

Eu era moleque, curtia andar de bicicleta, jogar botão e bater minha bolinha nos campinhos de terra batida em Bauru. Ir à escola fazia parte daquela rotina, mas não era o que aquele moleque curtia. Ele, eu, curtia era o futebol.

Ouvia meu pai falar de Garrincha, Didi, Quarentinha, Amarildo, Zagallo, Manga e Nilton Santos. Eram histórias que pareciam contos de fadas. Depois, já mais velho, ou melhor adolescente, acreditem!, pude encontrar, para meu deleite, com o o escritor daquelas histórias idílicas. E ele me falou de Marinho Chagas, Jairzinho, Paulo César Caju, Roberto e Rogério.

Nas tardes de domingo, lá em Bauru, eu me imaginava, muitas vezes, sentado na arquibancada do Maracanã, o maior do mundo, que eu imaginava ser o maior de uma trave a outra, acredita?,eu me imaginava no Maracanã vendo uma estrela solitária a brilhar no céu ensolarado daquela cidade que magnetizava pelas suas praias e mulheres esculturais. E por isso, também, era chamada de Maravilhosa.

E eu ficava intrigado: como podia uma estrela brilhar no céu azul, durante o dia de um domingo ensolarado? Afinal, nos foi ensinado na escola (que eu não me ligava muito, mas alguns assuntos me interessavam) que não é possível ver estrelas durante o dia porque a luz do Sol produz uma grande luminosidade que nos impede de ver as estrelas. Mas essa verdade era uma mentira quando se tratava da estrela de General Severiano. Ela brilhava em todos os céus. Noturnos, obviamente, e diurnos também, desafiando o Astro Rei, que não era mais forte do que aquela estrela, embora solitária.

Não era. Hoje é.

Hoje o homem destrói a natureza. Por isso, a pauta ambiental faz parte do cardápio de qualquer dirigente responsável. Menos os de General Severiano. Lá eles não devem acreditar em efeito estufa, que há desmatamento gigantesco na Amazônia e que a Terra é redonda. Só pode ser isso. Eles estão destruindo a natureza, uma natureza em que era natural ver aquela estrela solitária desafiar e vencer o Sol, porque era a vocação daquele corpo celeste.

Mas o homem é mau. Está acabando com tudo. Destrói nossas riquezas e matam nossos sonhos.

Hoje uma parte de mim morreu um pouco, porque parte da minha adolescência está sendo roubada de mim. Por isso sou acometido de uma tristeza imensa.

Aquela estrela perdeu seu brilho. E não consegue mais desafiar o Sol.