Abel Ferreira, técnico do Palmeiras, em jogo contra o Sport, no Allianz Parque, pelo Brasileirão

‘Um 5, um 8 e um 10’: a ‘orquestra’ do Palmeiras, destrinchada por Abel Ferreira

26/10/2021

Técnico do Palmeiras elogiou o seu meio-campo e explicou o seu funcionamento durante as partidas 


O Palmeiras venceu o Sport por 2 a 1 de virada nesta segunda-feira (25) pelo Brasileirão. O destaque do triunfo foi Gustavo Scarpa, que entrou no lugar de Danilo já na etapa final e mudou a cara do time. Após a partida, o técnico Abel Ferreira explicou a substituição e detalhou como funciona seu meio-campo.

A final da Conmebol Libertadores de 2021 terá cobertura completa dos canais esportivos do Grupo Disney, com transmissão AO VIVO no FOX Sports e também pela ESPN no Star+.

“Gosto de jogar com três tipos de médios: um 5, um 8 e um 10. Nós temos um 5, o Felipe Melo, ou o Danilo Barbosa. Temos um 8, que pode ser um Patrick ou um Danilo Oliveira. E temos dois 10, que são Scarpa e Veiga. Como só posso escolher três, e quando quero que a equipe fique mais aguda, mais agressiva ofensivamente, nós temos que ter jogadores no banco que tornem a equipe mais agressiva”, justificou o treinador.

“Portanto, o Scarpa nos dá isso. O Scarpa ou o [Raphael] Veiga, alternando. São dois jogadores que tem tido muito rendimento. Hoje foi preciso tornar a equipe ainda mais agressiva, tirei um 8 e meti mais um 10. Como já fiz o contrário em outros jogos, quando estávamos ganhando e tirei um 10 para meter mais um 8”, explicou.

“Porque para mim o futebol é uma orquestra, não dá para só ter pianistas dentro, é preciso ter uma equipe equilibrada”, completou.

Com a vitória, o Palmeiras retomou o 2º lugar na tabela, indo a 49 pontos e ainda a 10 pontos de distância do líder Atlético-MG, que venceu o Cuiabá, no domingo (24). O Fortaleza agora é o 3º colocado, e o Flamengo o 4º.