Vinicius Jr. durante jogo entre Real Madrid e RB Leipzig, pela Champions

Vinicius Jr. foi intimidado por programa de televisão para não publicar vídeo contra o racismo

20/09/2022

Vinicius Jr. foi intimidado pela equipe do programa de televisão “El Chiringuito de Jugones” para não publicar o vídeo no qual se manifesta contra o racismo


O atacante Vinicius Jr., do Real Madrid, foi intimidado pela equipe do programa de televisão “El Chiringuito de Jugones” para não publicar em suas redes sociais o vídeo no qual se manifesta contra o racismo sofrido na referida atração.

A informação foi inicialmente publicada pelo jornalista espanhol Iñaki Angulo, em seu canal no YouTube, e confirmada pela reportagem da ESPN.

Durante a semana, Pedro Bravo, presidente da Associação Espanhola de Agentes de Futebol, afirmou que Vinicius deveria parar de “hacer el mono” na comemoração de seus gols, que traduzido para português significa “fazer macaquices”.

Além do ato racista, Bravo foi também xenófobo ao dizer que o jogador “deveria ir para o Brasil sambar no sambódromo”. As danças de Vinicius se tornaram o centro do debate esportivo espanhol após a goleada madridista contra o Mallorca, por 4 a 1, em 11 de setembro.

Nas horas seguintes ao episódio no programa, houve enorme onda de apoio a Vinicius, principalmente oriunda do Brasil. Pelé, Neymar e tantos outros atletas e algumas personalidades também se manifestaram a favor do atacante do Real Madrid.

Na sexta-feira (16), foi a vez do próprio clube se manifestar oficialmente e logo na sequência o próprio Vinicius publicar o vídeo, que o “Chiringuito” tentou evitar.

A intimidação se deu através de ligações e mensagens dos integrantes do programa aos membros do estafe do jogador brasileiro em Madri, alegando que o público poderia entender que o programa é racista e isso os prejudicaria. De acordo com Iñaki Angulo, uma das mensagens continha o texto “se publicar o vídeo, vamos te destruir“.

No domingo, o Real Madrid venceu o Atlético de Madrid por 2 a 1, em pleno Cívitas Metropolitano. Rodrygo marcou o primeiro gol e dançou na comemoração, ao lado de Vinicius, que criou toda jogada do segundo gol, ao mandar a bola na trave e Federico Valverde marcar no rebote.

Antes do jogo, do lado de fora do estádio, um vídeo da rádio Cadena COPE registrou o momento em torcedores do Atleti chamam Vinicius, sem qualquer outra interpretação linguística, de “macaco”.

Durante a partida, já no segundo tempo, após Vinicius tentar uma carretilha, relatos de gritos de “macaco” foram ouvidos nas arquibancadas. Rodrygo, em entrevista exclusiva à ESPN após o jogo, afirmou ter 90% de certeza de ter ouvido gritos de “mono.

Mesmo assim, com toda repercussão negativa, “El Chiringuito” optou pelo caminho das falsas desculpas. Josep Pedrerol, apresentador e comandante do programa, publicou nas redes sociais um vídeo em que pede desculpas a Vinicius, mas afirma que a frase “hacer de mono” não é racista na Espanha, e reitera que o programa em si não é racista.

Durante a atração, já no pós-dérbi, diversos integrantes passaram a criticar fortemente o atacante brasileiro, mesmo com a vitória madridista e a boa atuação do jogador.

No entendimento da equipe de Vinicius Jr., resultado evidente da intimidação que houve nos momentos anteriores à publicação do vídeo do jogador